Canal TV da Rádio Gospel Da Covilhã Portugal

Player da Radio

domingo, 24 de abril de 2011

Á LUZ DO LIVRO

                                    GENESIS 18:17–19:5
No ultimo blog estivemos a falar sobre a importância de recuperar uma arte perdida que é da hospitalidade sincera, infelizmente vivemos dias em que as pessoas só receberam alguém se isso lhes trouxer algum beneficio directo, mas com povo português deveríamos recuperar uma das nossas características mais bonitas que é a de receber bem os que visitam a nossa terra. Hoje iremos ver o que aconteceu após essa visita, os versículos 17 a 19: O Senhor perguntou: “Deixarei que Abraão ignore aquilo que vou fazer? Porque a verdade é que ele se vai tornar numa poderosa nação, e virá a ser uma fonte de bênção para todas as nações da terra. Eu escolhi-o, por isso sei que há - de mandar os filhos e todos os da sua casa obedecerem ao Senhor de forma a serem pessoas que pratiquem o que é justo e recto, e a fim de que eu possa realizar tudo o que lhe prometi.” Bem, Deus não quer, prezado amigo, ocultar nada ao seu servo Abraão. Deseja que Abraão tome conhecimento dos seus planos, e dele não pode realmente ocultar nada. Que repercussão teria a destruição repentina de Sodoma, se Abraão nada soubesse a respeito? Naturalmente ele não poderia entender muito o caso, e poderia ter inclusive problema. Deus evitou este possível problema contando para ele o seu plano. Abraão ia formar uma nação através da qual Deus iria abençoar o mundo todo, portanto ele era uma pessoa de muita importância para o trabalho de Deus, no sentido de abençoar os povos. Deus tem grande interesse de comunicar a Abraão o seu plano para com Sodoma. 17/19 O Senhor perguntou: “Deixarei que Abraão ignore aquilo que vou fazer? Porque a verdade é que ele se vai tornar numa poderosa nação, e virá a ser uma fonte de bênção para todas as nações da terra. “ O estado espiritual da cidade de Sodoma, Abraão conhecia, mas não tanto quanto Deus. Só Deus conhecia o estado de moralidade, de corrupção da cidade onde morava o seu sobrinho Ló. Existe, prezado amigo, como que um limite para o pecado do homem, ou para o pecado do povo. Chega a um certo ponto que Deus manifesta o seu juízo. Diz o texto sagrado: Gen 18: 20 Então disse a Abraão: “Dou-me conta de que o povo de Sodoma e deGomorra é extremamente mau, e que tudo o que fazem é perverso. Vou descer lá agora para confirmar isso. Depois vou agir.” Aqui vemos, prezado amigo, Deus ensinando a prudência. Aqui encontramos a prudência divina. Deus não tem presa em destruir uma cidade, cujo clamor já chegou até o céu. Mas o Senhor é benigno, misericordioso, paciente e justo. Ainda vai lá para investigar e ver as proporções dos pecados praticados. Se aquele limite permitido por Deus ainda não foi ultrapassado, então Sodoma ainda terá mais tempo para se arrepender. Se não, será destruída. Não há precipitação, nas acções de Deus. É dado o tempo suficiente para haver arrependimento. Não há pressa. Deus investiga a situação espiritual de cada um de nós Há um limite para a tolerância de Deus. Deus vai até Sodoma, para confirmar o clamor que tem chegado até o céu. Prosseguindo a leitura, vemos o seguinte:Gen.18:22-23 Os homens dirigiram-se então em direcção a Sodoma, mas Abraão continuou ainda na presença do Senhor. E aproximou-se para perguntar: “Vais destruir bons e maus, juntamente?Vemos que o Senhor ficou com Abraão, enquanto os dois anjos foram para Sodoma. E surge em Abraão uma pergunta bem interessante. É esta: Se Deus destrói os justos com os injustos. Este ponto é tão importante para Abraão, que ele vai além e pergunta: Gen18:24 Supondo que encontras na cidade cinquenta pessoas que andam no caminho de Deus, irás destruí-la? Não a pouparás, atendendo a que há lá esse punhado de gente que segue a justiça ? Inicialmente, prezado amigo, Abraão admitia a possibilidade de que em Sodoma poderia haver uns 50 justos. Se havia, queria saber se Deus os destruiria juntamente com os ímpios daquela cidade. Meu prezado amigo, aqui Abraão está talvez cometendo a mesma falta que muitas vezes cometemos de pensar que pode cometer injustiça de uma forma ou de outra. Será que Deus não sabia o que estava fazendo? Será que Deus seria capaz de cometer uma injustiça? Não. Deus sempre sabe o que faz. Ele é justo, e sempre faz justiça. Nós é que ignoramos as razões, porque tantas vezes ele age de uma maneira que achamos injusta. É que somos limitados em nossa maneira de ver, e de julgar as coisas. Deus tem sempre as razões profundas para agir quando e como ele quer. Ele é o juiz de toda a terra. Ele sabe o que faz. Eis o que chegou a dizer Abraão a Deus: Não seria justo que fizesses morrer os rectos junto com os pecadores. Tu nunca tratas da mesma maneira uns e outros. O Juiz de toda a Terra não haveria de agir com toda a justiça?” Ora, prezado amigo, isto não se pode dizer a Deus. Deus é absolutamente sábio e justo. Abraão sabia que Deus era o juiz de toda a terra, e sendo assim, Deus só podia ser um juiz justo, incapaz de cometer qualquer injustiça. Mas a resposta de Deus foi maravilhosa a Abraão, e ao mesmo tempo foi uma resposta de perdão, porque o Senhor não repreendeu ao seu servo por fazer aquele tipo de pergunta. Ele disse: 26 E Deus respondeu-lhe: “Se eu encontrar em Sodoma cinquenta pessoas rectas, pouparei a cidade inteira, por causa delas.” Então Deus afastou da mente de Abraão qualquer ideia de cometer uma injustiça com os possíveis 50 justos que porventura vivessem em Sodoma. Mas aí Génesis começa a pensar, prezado amigo, no número dos justos. Estava achando muito. 50 seria muito. A cidade era toda corrupta, e ele não sabia realmente quantos justos poderiam existir em Sodoma. Abraão não tinha certeza, não tinha nenhuma informação exacta do trabalho, vamos dizer assim, do trabalho de evangelização, que seu sobrinho Ló, e que a sua família havia realizado na corrupta cidade de Sodoma. E assim chega a baixar o número para 45, depois para 40, depois para 30, depois para 20 e chegou até 10. Não podemos precisar o número de pessoas que habitavam na tristemente famosa cidade, mas Abraão não sabe realmente quantas pessoas justas viviam lá. Mas surge aqui uma pergunta: Por que Abraão não chegou a perguntar até 1 por exemplo? É bem possível que Abraão tivesse pensado que a sua família o seu sobrinho Ló e os que com ele estavam teriam permanecido fieis. Talvez por isso Abraão ficou com os 10justos. No capítulo 19 onde encontramos uma série de assuntos. Primeiramente vemos os dois anjos chegando em Sodoma na casa de Ló para anunciar a destruição da cidade e ordenar que Ló, sua mulher e suas duas filhas saiam da cidade. Vemos que Ló deu uma boa acolhida a esses anjos, usou para com eles da melhor cortesia possível, como fez Abraão antes. Não podemos ter a menor dúvida, prezado amigo, quanto a justiça deste homem chamado Ló. A justiça que tinha naturalmente era uma justiça imputada, como de Abraão, quer dizer, pela fé. Mas apesar de não parecer justo, ele o era. É o apóstolo Pedro que numa de suas epístolas sagradas nos tira qualquer dúvida sobre isto, pois o apóstolo diz que Ló não se sentia bem com a corrupção da cidade. O pecado daquela cidade entristecia muito o coração do justo Ló. Então este homem era justo, e prova disto é que Deus o salvou da destruição da cidade juntamente com a sua família. A palavra justo aqui usado para ele é no sentido de crer na justiça divina, não que ele fosse perfeito como vamos observar. Mas, falando em termos Cristãos, achamos que, Ló era um cristão pouco comprometido com Cristo talves fosse á missa ou ao culto de domingo, mas os ensinos de Deus pouco impacto tinham na sua vida e muito menos ele era capaz de influenciar outros a mudar de vida apesar dele não se sentir bem naquela cidade, e de se manter assim mesmo incontaminado, havia da parte dele um certo descuido na vida espiritual da própria família. A família é uma coisa muito importante. O homem é responsável pela boa ordem na sua família. Pode ser isto muito difícil numa cidade como Sodoma, ou num mundo como este em que nós vivemos. Ló deveria ter pensado muito no futuro de suas filhas e de sua própria esposa. A verdade é que Ló resolveu morar em Sodoma apesar de tudo. A influência dos valores da sociedade na nossa vida é muito grande. Deve ele estar sempre apercebido, sempre vigilante. Vamos ler o versículo 2 deste capítulo 19. Eis o que diz: “Meus senhores, venham para a minha casa. Serão meus hóspedes esta noite. De manhã, à hora que quiserem, podem
partir e continuar o caminho.”
Foi assim que falou Ló aos seus visitantes celestiais. Eis a resposta deles: " “Não, ficamos mesmo aqui na rua.”. Diz o texto no versículo seguinte que Ló insistiu para que eles não fossem para a praça, assim entraram para pernoitar na casa de Ló. Era de fato perigoso passar a noite na praça de uma cidade como aquela. Não havia condição. Nas grandes cidades de hoje, já não se podem sair a noite para a qualquer lado. Há perigos. E todos nós sabemos que isto é verdade. Conhecemos os perigos e os crimes das nossas grandes cidades pelo jornal. Existe uma ameaça a população. Os jornais e os diversos meios de comunicação que o digam, os crimes são de vários tipos, e não há segurança para se andar de noite. Foi quando chegou, prezado amigo, a uma situação assim, que Sodoma foi destruída. É como dissemos alguns instantes antes, que o pecado de uma pessoa, de uma cidade ou de um povo tem um limite. Quando chega a este limite, o julgamento de Deus pode vir. Como diz o povo ”a justiça de Deus tarda mas não falha.” É verdade que a justiça divina não é feita aqui na terra no sentido total e absoluto. A justiça divina se expressa hoje por meio de julgamentos parciais, estando reservado para o julgamento final, a aplicação divina da justiça no seu sentido absoluto. Mas, passemos adiante e vejamos o que diz o versículo seguinte Gen.19:5 Quando se preparavam para se deitarem, vieram os sodomitas, os habitantes da cidade, do mais novo ao mais velho, e cercaram a casa, gritando para Lot: “Traz-nos cá fora esses homens que aí tens. Queremos possuí-los!” Aqui está uma cena realmente desagradável e foi escrita com cores suficientemente vivas para que possamos conhecer qual o pensamento de Deus sobre esta modalidade de pecado, para o qual, a própria cidade de Sodoma lhe deu o nome. É terrível a corrupção do ser humano. O homem afastado de Deus chega a ser embrutecido, chega a tornar-se como animal, senão pior. sodomia é a violação de um indivíduo, por um grupo de pessoas. E todas esses violadores acham excitante o sofrimento atrós dessa vitima. Que muitas vezes conduz até á morte. Aqui temos um pecado claramente condenado pela Bíblia, pela Palavra de Deus, pecado que é defendido por alguns que se intitulam de "humanistas", de "sábios", de "cientistas", e até de "religiosos". Esses adjectivos usados, prezado amigo, como estão devem estar entre aspas, porque contra este pecado e contra outras aberrações, estão aqueles que são verdadeiramente sábios em qualquer campo. Levado pelo mesmo sentimento humanista de simpatia, de amor, de compaixão por aqueles que se dizem sodomitas, desta ou daquela classe, levado por este mesmo sentimento, pode se defender qualquer prática desumana ou criminosa porque todas elas são baseadas na natureza decaída e depravada do homem. O que todos nós já sabemos do que é capaz o homem, a pessoa humana, nos leva a pensar, prezado amigo, com absoluta segurança que os que chegam a defender práticas sodomitas, alegando esta ou aquela tara ou doença, podem também defender a prática de outros crimes, como o de roubar, o de matar, porque muitos dos que matam e roubam, têm motivos, têm necessidades mórbidas. Há vários tipos de crime que são praticado para proporcionar uma sensação de prazer. O sádico por exemplo. Tem prazer na crueldade é um sentimento profundamente arraigado na natureza pervertida da pessoa que possui esta deformidade. Não podemos desculpabilizar as pessoas que vivem com estas dificuldades, condenamos os seus actos mas não cremos condenar as pessoas, são pessoas que precisão de se arrepender e abandonar as suas práticas e que precisam de um acompanhamento emocional e espiritual. Precisam de Jesus que é o único que pode transformar o coração do Homem. Uma vez ouvi alguém dizer, não sei precisar quem que o problema principal de Sodoma e Gomorra foi o facto de não haver nem 10 Justos nas suas cidades e não tanto a grande corrupção, pois senão Deus já tinha destruído muitas mais cidades neste mundo, a questão é que os justos, as pessoas que ainda tem uma consciência para ver o que é certo e errado, muitas vezes não estão a fazer o seu papel na sociedade, mostrar qual o caminho para uma vida em melhor, muitas vezes sãos os corruptos que tem acesso aos orgãos que fazem opinião, são pessoas irresponsáveis nas suas relações que falam em nome do amor e dos sentimento dos indivíduos, quando na realidade passam por cima de tudo e de todos para ter uma simples noite de prazer, sem se importar se a mulher com quem estiveram está ou não a ser forçada a viver daquela maneira, por redes mafiosas. Foço um apelo a todos os que ainda se importam com os seus filhos e com um futuro melhor que não seja tão passivo quanto à imoralidade que cruza connosco nos jornais, nas revistas, na T.V. seja você também um formador de opinião, não seja com Ló que tinha os seus valores mas que não influenciava ninguém.
Agora, para terminar, é bom que se diga, prezado amigo, lembrando aquilo que a Bíblia diz, que o homem não é pecador apenas porque pratique este ou aquele pecado, mais ou menos horrível. O homem é pecador porque o é por natureza. Já nasceu pecador, e a Bíblia diz que a não ser que o homem se arrependa dos seus pecados, estará perdido para sempre. O salmista Davi no Salmo 51: 5 ele diz: " Eu nasci pecador, sim, desde o momento em que a minha mãe me concebeu." Então quando o homem nasce, já nasce como o germe do pecado. O apóstolo Paulo, maior intérprete da doutrina cristã, o maior intérprete de Cristo, diz em Rm. 3:23Porque todos pecaram, tendo perdido o direito e acesso à gloria de Deus”. O julgamento veio sobre a cidade de Sodoma para todos os pecadores, menos para Ló e para as suas filhas, porque foram tirados de lá, porque Deus é Bom e não ia condenar o justo com o injusto. E como já dissemos, assim será também no fim dos tempos. Ou o homem está ligado pela fé a Cristo, para se salvar, ou então morrerá eternamente. O apóstolo I João 5:12 diz: "Quem tem o filho, tem a vida, mas quem não tem o filho de Deus não tem a vida." A esperança do homem está em Jesus Cristo. Se ele tem Cristo, ele tem vida eterna, ele tem comunhão com Deus, ele tem uma nova vida. Se ele não tem Cristo, ele está condenado, porque o seu estado é estado de pecado, e o esta oposto a Deus. Cristo é o único meio através do qual, o homem pode salvar-se. É necessário depositar a sua fé em Cristo, aceitando pela fé que a sua morte e ressurreição são a única forma de ter os seus pecados perdoados e de ser reconciliado com Deus. A salvação está ao alcance e todos porque é por meio da fé, não importa a seu passado Cristo pode perdoar qualquer que seja o seu pecado, se se arrepender sinceramente e lhe pedir perdão, e se o seu pecado ofendeu alguém deve de pedir perdão também a essa pessoa que ofendeu. Você pode crer em Cristo, amigo, e ser salvo. Aceite a Cristo agora. Se quiser pode repetir uma oração bem simples de entrega da sua vida a Cristo. Diga a Jesus” Senhor Jesus hoje me arrependo sinceramente dos meus pecados e confesso e deixo esta pratica, quero te aceitar como meu único Senhor e salvador, entrego-te toda a minha vida da qui en diante nas tuas mãos para seres tu a governa-la e te pessoa isto em nome de Jesus. Amém. Se fez esta oração sincera Cristo perdoa-o e recebeu com seu filho, como diz a sua palavra em João 1: 12 Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus”.

1 comentário:

  1. Olá muito bom seu blog ja estou seguindo. Tenha uma semana muito abençoada na paz de Deus.
    www.blogandodemadrugada.blogspot.com

    ResponderEliminar

TESTEMUNHOS