Canal TV da Rádio Gospel Da Covilhã Portugal

Player da Radio

domingo, 8 de abril de 2012

A CRUZ EM JESUS CRISTO

 
 
 
                             A CRUZ EM JESUS CRISTO
A CRUZ DE CRISTO E O EVANGELHO
É um dos pilares do Evangelho
Sem a cruz o evangelho seria uma lenda e tornar-se-ia uma mensagem vã.
É um facto e faz parte da mensagem do evangelho que Jesus foi crucificado ou morreu numa cruz e isto torna a mensagem de Cristo em “boas novas”. (Jo 19:17-19) Jesus mesmo falou da necessidade da Sua crucificação
Era necessário que Cristo fosse...
crucificado. ((Mt 26:2); ((Lc 24:7). Jesus Cristo foi deveras crucificado. ((Mc 16:6)
A CRUZ DE CRISTO E A SUA HUMILHAÇÃO
A cruz foi a confirmação da extrema humilhação e da total obediência de Jesus:
e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.
(Fl 2:8-11 PJFA) Essa extrema humilhação resultou na maior exaltação da Sua pessoa

A CRUZ DE CRISTO E O CRENTE
Jesus teve que suportar a cruz para alcançar o gozo da nossa salvação: “Fitando os olhos em Jesus, autor e consumador da nossa fé, o qual, pelo gozo que lhe está proposto, suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à direita do trono de Deus” (Hb 12:2) Jesus suportou a cruz desprezando a ignomínia que a mesma constituía para a Sua pessoa. Não se importou de passar pela cruz para nos ganhar para Ele
A cruz proporciona libertação da maldição do crente: “Pois todos quantos são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque escrito está: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. É evidente que pela lei ninguém é justificado diante de Deus, porque: O justo viverá da fé; ora, a lei não é da fé, mas: O que fizer estas coisas, por elas viverá. Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro” (Gl 3:10-13 PJFA). Na cruz Jesus assumiu toda a maldição que pesava sobre nós de modo a experimentarmos completa libertação: “Se um homem tiver cometido um pecado digno de morte, e for morto, e o tiveres pendurado num madeiro, o seu cadáver não permanecerá toda a noite no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto aquele que é pendurado é maldito de Deus. Assim não contaminarás a tua terra, que o Senhor teu Deus te dá em herança” (Dt 21:22-23). O crente, em Cristo, já não se encontra mais debaixo da maldição
A cruz proporciona a libertação dos pecados do crente e a cura das enfermidades: “Levando ele mesmo os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados” (IPe 2:24). A cruz proporciona a abolição da nossa condenação e a anulação da nossa culpa: “E havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz” (Cl 2:14). A cruz proporciona a reconciliação individual do crente com Deus
Pela cruz fomos reconciliados com Deus individualmente: “A vós também, que outrora éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más,agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, a fim de perante ele vos apresentar santos, sem defeito e irrepreensíveis” (Cl 1:21-22); “Mas todas as coisas provêm de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação; pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação” (IICo 5:18-19); “Porque se nós, quando éramos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida. E não somente isso, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, pelo qual agora temos recebido a reconciliação” (Rm 5:10-11). O crente, por consequência, deve ser um embaixador da reconciliação: “pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores por Cristo, como se Deus por nós vos exortasse. Rogamo-vos, pois, por Cristo que vos reconcilieis com Deus” (IICo 5:19-20) A cruz proporciona a reconciliação da Igreja com Deus
Pela cruz Jesus reconciliou com Deus judeus e gentios, formando de ambos um só “corpo” que é a Sua Igreja: “E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um só corpo, tendo por ela matado a inimizade” (Ef 2:16) Todas as barreiras raciais, culturais e religiosas foram derrubadas pelo sacrifício da cruz . A igreja é o lugar onde podem conviver em paz e harmonia com Deus e umas com as outras todas as pessoas, qualquer que seja a sua origem ou condição. Toda a sorte de inimizade, seja ela de que origem for, foi morta na cruz.

Luís Reis

Sem comentários:

Enviar um comentário

TESTEMUNHOS